Diálise

Diálise
A Hemodiálise - sala de hemodiálise com seus respectivos aparelhos

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Aminas



                                               Aminas
Conteúdo 

Definição.
Exemplos de Aminas.
Cassificação Das Aminas de Acordo Com a Substituição de Um Hidrogênio do Nitrogênio.
Aminas - Substâncias de Caráter Anfótero.
Presença das Aminas
Nomenclatura Das Aminas.
A Utilização das Aminas
Reações Das Aminas.
Exercícios. 
Bibliografia. 

Definição


Aminas possuem o radical funcional NH2. As aminas são compostos orgânicos nitrogenados derivados da amônia ou amoníaco (NH3). Para se transformar em amina, um hidrogênio da amônia é trocado por um radical arila ou alquila. Veja exemplo .

A formação de uma amina a partir do radical arila, R.







A formação de uma amina a partir de um radical alquila (Ar aromático)



Presença das Aminas

As aminas estão presentes nos aminoácidos essenciais para o organismo humano, como a lisina, leucina, isoleucina, metionina, fenilalanina, treonina, triptofano, valina e histidina, e nos aminoácidos não essenciais como a glutamina , glicina, prolina, tirosina, cisteína, serina e aspártico. Se encontra também nos alimentos, em nutrientes como nas diversas carnes bovina, suína, caprina, de aves em geral, nos peixes, nos grãos em geral, nos cereais, frutas. Estão presentes em drogas farmacológicas, como acetaminofen, diabinese, fenobarbital, valium ou diazepan e inúmeras outras, em anestésicos e antibióticos, ampicilina, imipenen e muitos outros, não farmacológicas de uso comum, as anfetaminas, metilenodióximetanfetamina ou êxtase, cocaína, morfina, heroína. Em corantes como a anilina, azul de metileno, safranina etc.

Exemplos de Aminas

Metilamina 








Etilamina
















1-Propanamina




















1,3-propanodiamina











2-propanamina











3-metil-1-butanamina












Anilina












1,4-diamino-butano (putrescina)











1,5-diamino-pentano (cadaverina)











1,5-diamino-pentano (cadaverina) ou pentano-1,5-diamina, é produzida na hidrólise de proteínas, especialmente na descarboxilação da lisina, é a molécula formada principalmente nos cadáveres em decomposição, se forma através dos grupos aminas das extremidades das moléculas, provocando o mau cheiro que exala com os gases produzidos. Aparece também em pequenas quantidades nos vegetais e nos animais, pode ser encontrada no sêmen conferindo o odor característico e nas infecções da vagina.

Ácido p-aminobenzóico (PABA), está presente em protetores solar.

















Glifosato








O glifosato é um herbicida não seletivo, organofosforado, de caráter surfactante, utilizado em plantas pós emergentes, o seu uso representa 60% do mercado mundial de herbicidas não seletivo de baixa toxicidade comercializado. Comprova-se a baixa toxicidade porque é facilmente incorporado ao solo, também é adsorvido por argilas e plantas que o neutralizam, impedindo assim a sua passagem para a água. No entanto apesar da comprovação primordial de sua baixa toxicidade, pesquisas recentes indicam que possui certa ação irritativa dermatológica quando em contato com a pele, e além disso deletéria para genes, o que pode levar ao câncer.


No solo os micróbios degradam rapidamente o glifosato  para obter produto fosforado que será fonte de energia e nutrientes para o seu próprio organismo.
Uma forma dessa degradação utilizada pelos micróbios, é pela C-P liase, enzima microbiana, que transforma o glifosato em sarcosina.
A outra forma, a bactéria Anthrobacter atrocyanous, ou a Flavobacterium sp, transformam o glifosato em AMPA, ácido aminometilfosfônico, que pela ação da enzima C-P liase se transforma em metilamina, que pela ação de outra enzima a deidrogenase se transforma em formaldeido.

Feniletilamina









A Feniletilamina é sintetizada a partir da aminoácido etilamina, é uma molécula estimulante do sistema nervoso central, neurotransmissora de impulsos nervosos, e está presente também nos sentimentos de afeição, que entra funcionalmente nos sentimentos da paixão, atuando ainda como feromonio que provoca interesses sexuais. Quando uma pessoa está muito apaixonada ocorre o aumento dessa substância no organismo, especialmente no cérebro.
A Feniletilamina aumenta o nível de dopamina no cérebro, o que leva a sensação de bem estar, controla excitação e hiperatividade, da falta de atenção, tratamento de depressão, comprova-se a sua deficiência no mal de parkinson, reduz doenças de pele vitiligo, osteoartrite.

Cassificação Das Aminas de Acordo Com a Substituição de Um Hidrogênio do Nitrogênio

Amina Primária
A amina primária um hidrogênio do nitrogênio é substituido um radical arila ou alquila.



Amina Secundária
Na amina secundária dois hidrogênios do nitrogênio são substituidos por radical arila ou alquila. 











A metiletilamina é uma amina secundária.

Amina Terciária
Na amina terciária, três hidrogênios do nitrogênio são substituidos por radical arila ou alquila. 

A  trimetilamina tem cheiro de peixe podre.

Aminas - Substâncias de Caráter Anfótero

Substâncias anfóteras possuem na estrutura molecular, grupos funcionais de caráter ácido e básico (amina), ao mesmo tempo. 

Alanina









Fenialanina


Fenilalanina  é o aminoácido que se transforma noutro aminoácido tirosina. Se não houver essa transformação, a fenilalanina irá acumular no organismo (no sangue), desdobrando-se na substância tóxica ácido pirúvico, causador da fenilcetonúria. O PKU é o exame do pezinho da criança recém nascida que determina o problema genético. A fenilcetonúria é a impossibilidade de digestão pela enzima fenilalanina hidroxilase, desse aminoácido que se acumula, causando toxicidade no organismo. Uma parte é excretado pela urina ou suor, mas se acumular no organismo, especialmente no sangue, impede vários processos metabólicos, que irá resultar na alteração do desenvolvimento do sistema nervoso levando a lesões neurológicas irreversíveis, de ordem genética, como o retardamento mental de crianças. 
A fenilalanina ainda como produto industrializado, é utilizado em adoçantes dietéticos, como o aspartame e também tem o seu emprego como adoçante de refrigerantes. 

Glicina








Tirosina









Lisina 














A Utilização Das Aminas


Metilamina


A metilamina é utilizada para a síntese de várias substâncias, como inseticidas, herbicidas, fungicidas, surfactantes, também é utilizada na preparação da metanfetamina, tem o emprego no processamento de combustíveis fósseis, na fabricação de explosivos, na industria farmacêutica para medicamentos, na química da fotografia, em tintas e solventes, na fabricação de borrachas.

Etilamina

Etilamina é utilizada na produção de corantes, na refinação do petróleo, é uma substância ligeiramente alcalina, empregada como estabilizador no prepara do cauchu, ou do látex da borracha, tem seu emprego como detergente, e é usada para várias sínteses orgânicas, tem emprego na preparação intermediária de tintas, corantes, pesticida, farmacêutica e na fabricação de resinas. 

Propanoamina-1


Propanoamina-1 é utilizado como medicamento antidepressivo, é sedativo e calmante, e também pode ser aplicado contra a enurese que é o ato inconveniente de urinar na cama durante a noite. Está presente no medicamento com o nome comercial de protanol.

Obs: não tome nenhum medicamento sem orientação médica.

1,3-propanodiamina


A 1,3-propanodiamina tem aplicação na fabricação de surfactantes anfoteros, na síntese de vários produtos químicos orgânicos. Está presente em aditivos lubrificantes. Tem o seu uso associado, formando o 3-aminopropilo-dodecilo-1,3-propanodiamina que atua como agente no tratamento da água.

Fenilamina - anilina


A anilina é utilizada como precursora do índigo blue no tingimento dos tecidos “jeans”, tem seu emprego na preparação da espuma de poliuretano, nos produtos químicos agrícolas como herbicidas, nas pinturas sintéticas,  em tinturas de cabelos roxos, vermelhos etc, em vernizes , é empregado na preparação de antioxidantes, estabilizadores para a indústria do látex,  é usado como precursor de substâncias  explosivas (explosivos) e também na composição do plástico com o qual se fabrica camisinhas masculinas e femininas, e na composição do polímero de polianilina.

Anfetamina


Anfetamina pura (metanfetamina) é proibida no Brasil. Nos países que ainda é liberada, pode ser utilizada no tratamento de sintomas da depressão como estimulante de sistema nervoso central. Está presente nas fórmulas modificadas dos medicamentos Amphaplex, Benzedrine, Bifetamina, Dexedrine, Dexamil. Seu uso deve acontecer somente sob orientação médica para o tratamento da depressão. O uso contínuo pode levar a dependência química e problemas neurológicos.

Ácido p-aminobenzóico

Ácido p-aminobenzóico (PABA) numa concentração de 5% é utilizado como protetor solar, pois absorve radiação ultravioleta tipo UVB. Associado a outras substâncias, pode funcionar como medicamento. Pode estimular o crescimento de cabelos, é utilizado também como preventivo para queda de cabelos.

Nomenclatura Das Aminas

A nomenclatura das aminas segue a regra geral da química orgânica. Cita-se o nome dos radicais metil, etil, propil etc, com acréscimo do grupo funcional amina.

Nome químico ou sistemático:  1-metilamina
Nome genérico:   aminometano, metilamina 








Nome químico ou sistemático: 1- etilamina.
Nomes usuais: Etilamina, aminoetano, 1-aminoetano.










Nome químico ou sistemático: 1- propanamina.
Nome usual: propilamina. 












Nome sistemático ou químico: 1,3-propanodiamina, propano-1,3-diamina.










Nome sistemático ou químico: 1,3,5-pentanotriamina ou pentano-1,3,5-triamina.













Nome sistemático ou químico: ácido-2,6-diamino-exanóico. 
Nome usual: Lisina








A lisina é um aminácido essencial (alguns cientistas dizem ser semi-essencial porque também pode ser produzido no nosso organismo, nos intestinos por ação de bactérias, especialmente na fase de criança), é derivado do aspartato por ação de uma enzima L específica. As leveduras também podem desdobrar o alfa cetoglutarato com a acetil-CoA  em lisina. Está incluida na ração animal produzida industrialmente e a sua ação nos organismos vivos em geral está em auxiliar o crescimento dos ossos, cartilagens e tecidos conectivos. No interior de muitos organismos estudados, comprovou-se que a lisina também age, em enzimas transaminases, como substrato para transaminação (transporte do grupo amina).
Reações Das Aminas


Reação de Substituição na formação de uma amina a partir de um haleto e amônia.

O bromo-metil reage com a amônia produzindo a metil-amina e ácido bromídrico.




Reação de Formação de Uma Base a Partir de Uma Amina

A metil-amina reage com água, formando a base metil-amônia e o íon hidroxila, que dá o caráter básico da solução.




As Aminas Reagem Com Ácidos Formando Sais 

A metil-amina reage com o ácido clorídrico formando o sal cloreto de metil-amônia.


Exercícios


(Enem - QUESTÃO 68) O glifosato (C3H8NO5P) é um herbicida pertencente ao grupo químico das glicinas, classificado como não seletivo. Esse composto possui os grupos funcionais carboxilato, amino e fosfonato. A degradação do glifosato no solo é muito rápida e realizada por grande variedade de microrganismos, que usam o produto como fonte de energia e fósforo. Os produtos da degradação são o ácido aminometilfosfônico (AMPA) e o N-metilglicina (sarcosina):






A partir do texto e dos produtos de degradação apresentados, a estrutura química que representa o glifosato é:

























a) (     )                    b)  (     )                     c) (     )                       d) (     )                       e)  (     )

                                      Bibliografia

Francisco Miragaia Peruzzo, Eduardo Leite do Canto. Química na Abordagem do Cotidiano, volume 3 Química Orgânica, editora Moderna 4ª edição, São Paulo 2010.

João Usberco, Edgard Salvador. Química, Química Orgânica 3. Editora Saraiva, 2º edição 1996


Anfetamina – Wikipédia, a enciclopédia livre


Pt.wikipedia.org/wiki/anfetamina

Anilina – Wikipedia, a enciclopédia livre
Pt.wikipedia.org/wiki/Anilina

Tito e Canto. Química na Abordagem do Cotidiano, Volume 3 Editora Moderna 2ª edição, São Paulo.

Geraldo Camargo de Carvalho. Química Moderna, vol. 3 editora Scipione, 2ª edição. 

Ricardo Feltre. Química, Química Orgânica, volume 3, Editora Moderna, 6ª edição São Paulo 2004.

H.A.Harper, V.W.Rodwell,R.A. Mayes. Manual de Química Fisiológica, Editora Atheneu São Paulo.

Glifosato - SIGAM
www.sigam.ambiente.sp.gov.br/.../glifosato/20084_caractFisicoQuimica...



segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Nitrocompostos




                          Nitrocompostos

Definição


Os nitrocompostos possuem o radical funcional nitrito (–NO2), ligado diretamente a um carbono. Pode haver um ou mais desses radicais em uma mesma molécula.


Radical funcional dos nitrocompostos









Exemplos de Nitrocompostos

Nitrometano






Nitrobenzeno









Trinitrotolueno



Utilidade dos Nitrocompostos

A utilização do nitrometano


O nitrometano é utilizado como combustível para automodelismo profissional gasolina, carros de competição é utilizado como estabilizante para solventes clorados, aditivos para carros de corrida, foguetes e aeromodelos. É uma substância muito cara de ser produzida e por isso é importada dos Estados Unidos.

Utilidade do Nitrobenzeno


O nitrobenzeno é utilizado como solvente, na fabricação da anilina, de borrachas, pesticidas, corantes e fármacos, no polimento de sapatos, roupas de couro e ainda como solvente para tintas. Depois de redestilado e purificado, torna-se com aroma agradável e é utilizado como aromatizante de sabões, sabonetes. Na produção da benzidina, que era empregada na produção de corantes para tecidos, couros e plásticos, atualmente em alguns países a benzidina está proibida a sua utilização, produção e comercialização. Com o nitrobenzeno também se produz a quinolina, que é utilizada na industria famacêutica na síntese de medicamentos antifúngicos, bactericidas e no tratamento da tricomoniase etc. Com o nitrobenzeno se obtém o azobenzeno, isocianatos, agrotóxicos, produtos químicos para borrachas, medicamentos e corantes, como a nigrosinas e a magenta. Usa-se também no refino do petróleo e na síntese de vários produtos orgânicos.



domingo, 28 de dezembro de 2014

Fenóis

                                  
                                   Fenóis


Definição: 

Os fenóis são substâncias formadas a partir do anel benzênico, com  hidroxila (s) ligada (s) diretamente  ao (s) carbono (s) desse anel. Portanto existem, monofenóis, difenóis, trifenóis, e assim por diante, geralmente são sólidos, cristalinos, tóxicos, cáusticos e pouco solúveis em água, sendo solúveis em álcool e éter.
Veja exemplo de um fenol e um não fenol.
                                                                                                                                                                                                                       










Exemplos De Alguns Fenóis

Fenol benzeno ou hidróxi-benzeno. É o fenol mais simples de todos.










Orto-hidroquinona ou difenol ou ainda benzeno-1,2-diol
Orto-hidroquinona ou 1,2-difenol-benzeno

1,3 dihidroxi-benzeno ou Resorcinol 




1-hidróxi-2-metil-benzeno

1-hidróxi-2-metil-benzeno

1-hidroxi-naftaleno ou α-naftol
1-hidroxi-naftaleno ou alfa naftol
Eugenol 




Acetaminofen - analgésico


















Polímero de Novolac, tinta epóxi.




Utilidade Dos Fenóis


A Utilidade do Fenol Benzeno 


O Fenol benzeno é utilizado como desinfetante creolina, nos ferimentos de animais, pode atuar na coagulação de proteínas de microrganismos decompositores, causadores de mau cheiro. Na estética é utilizado para fazer peeling e evitar enrugamento da pele. Na preservação de madeiras contra ataques de fungos e besouros, na industria química é utilizado na fabricação de plásticos ou resinas e polímeros da baquelite ou fórmica. Tem a sua aplicação na industria de perfumes, de corantes, e ainda na preparação do ácido pícrico que é utilizado na fabricação de explosivos, na produção de vernizes, desodorantes, adesivos, cosméticos, tintas, é ainda utilizado na industria farmacêutica na preparação de medicamentos e também da aspirina, é usado na produção de fios têxteis de poliamida ou nylon.

Reações Dos Fenóis

Reação de Transformação da Orto-hidroquinona em Orto-benzoquinona.

Algumas frutas como a maçã, pera, banana, quando estamos comendo uma parte  e deixamos o restante ao ar livre,  depois de algum tempo, quando voltamos, encontramos a sua polpa escurecida. Esse fenômeno se dá pela presença da hidroquinona de cor clara que se transforma em orto-benzoquinona  de cor escura, quando exposto ao ar livre. Essa reação é de oxidação ou desidrogenação pela ação de uma enzima chamada de ubiquinona ou Coenzima Q10, a qual está presente em praticamente em todas células, tanto animal como vegetal. A transformação se dá da seguinte forma: pela ação dessa enzima, ocorre a retirada de dois elétrons e dois prótons da molécula da hidroquinona transformando-a em  o-benzoquinona.



A orto-benzoquinona não é fenol é uma diacetona.

Bibliografia

Química. Ricardo Feltre, Química Orgânica, vol. 3, Editora Moderna, 6º edição, São Paulo 2004.

Francisco Miragaia Peruzzo, Eduardo Leite do Canto. Química na Abordagem do Cotidiano, Química Orgânica, vol. 3. Editora Moderna, 4º edição, São Paulo 2010.

Fenol - Wikipédia, a Enciclopédia livre. 

Cresol - Wikipédia, a enciclopédia livre
pt.wikipedia.org/wiki/cresol
pt.wikipedia.org/wiki/feno

Cresol (O-cresol, m- cresol e p-cresol) - Cetesb
www.cetesb.sp.gov.br/userfiles/laboratorios/fit/cresol.pdf

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Éteres

                              Éteres


Conteúdo Programático

Éteres - Definição.
Éteres - Exemplos.
Éteres - Utilização no Cotidiano.  
A Nomenclatura dos Éteres.
Isomeria Com os Éteres.
Reações  Com os Éteres.   

Definição


Os radicais dos éteres devem ser necessariamente iguais, sempre indicado pelo oxigênio ligado a dois radicais, que são obrigatoriamente dois carbonos.  Os éteres possuem cadeias carbônicas alifáticas, saturadas e insaturadas, cíclicas e heterocíclicas. Os éteres estão razoavelmente difundidos na natureza, fazendo parte de moléculas de diversas substâncias orgânicas. 
Os éteres são solúveis em água , e os de cadeias menores são muito voláteis. Os éteres também possuem a característica de serem muito inflamáveis e explosivos, não se deve aproximar a substância do fogo, e além disso ao manipular esse tipo de substância deve-se manter o ambiente muito bem ventilado.

Exemplos Dos Éteres Mais Comuns


Dimetil-éter ou metoxi-metano









Éter metil-etílico  ou etil-metil-éter








Éter vinílico







Metoxi-terciobutano (metil-terci-butil)












Éter dietílico ou etóxi-etano










Éter fenílico











Eugenol

















Vanilina
















Epoxi-etano, pertence aos éteres cíclicos.









Tetra-hidrocanabiol (THC) ou canabidiol (maconha). Existem três tipos de cannabis sativa portanto a fórmula que está está aqui (uma delas, há outra) foi retirado do livro dos autores Tito e Canto. Química na abordagem do cotidiano, volume três, que aborda o assunto éteres.


Fórmula estrutural plana do tetra-hidrocanabiol


























Utilidade Dos Éteres


Dimetil-éter -Utilização

O dimetil-éter outrora era utilizado em sprays, prática que atualmente foi abandonada por tratar-se de um produto perigoso. Essa substância também pode servir de combustível substituindo o gás GLP, ou o óleo diesel. Pode ser convertido em ácido acético utilizando alta tecnologia de transformação de carbonilação, é também utilizado como solvente em baixa temperatura, ou ainda como extrator.
O dimetil-éter também é utilizado na produção do dimetil-sulfato  o qual é utilizado para a metilação de fenóis, aminas e tióis. 

Éter metil-etílico - Uso 

Antigamente era liberado e utilizado em inalantes, como nós temos conhecimento, o famoso lança-perfumes. No passado também era utilizado como anestésico, aos poucos foi abandonada essa prática, porque a substância se revelou tóxica e podia causar mortes, pois atua deprimindo a musculatura cardíaca e consequentemente levando a parada cardíaca. Atualmente é utilizado como solvente de resinas e graxas. É também utilizado em laboratórios na extração de óleos, gorduras, essências e perfumes de animais e vegetais. Outro uso, o qual é proibido e a polícia federal está sempre alerta, é o seu uso na extração da cocaína da folha de coca, ou na purificação da pasta básica de coca, que contém certas impurezas, nesse caso essa pasta é dissolvida em éter, retira-se a parte líquida; separando-a das impurezas, deixa evaporar o solvente obtendo-se assim, a substância pura. Deve-se ter muito cuidado ao manipular o éter metil-etílico, pois é perigoso, porque evapora facilmente e é explosivo perto de chama.


Metoxi-terciobutano - Utilidade

O metoxi-terciobutano ou MTBE, ou ainda Methyl tertiary-butyl ether (MTBE) é muito volátil e inflamavel, é obtido pela  reação entre o metanol com metilpropeno, na presença de um catalisador. É utilizado como antidetonante na gasolina. também é utilizado como solvente, com uma vantagem de não formar peróxido orgânico, que são explosivos.

A Nomenclatura Dos Éteres

Nomenclatura Usual

A nomenclatura para os éteres pode ser feita usualmente. É a nomenclatura na qual colocamos primeiramente: 

éter + nome da cadeia mais simples + nome da cadeia mais complexa + terminação ico.

Exemplo:


Éter dimetílico
Éter dimetílico


Eter metil-etílico
Éter metil etílico
Isomeria Com os Éteres

Isomeria de Posição ou de Compensação ou Ainda Metameria
                    éter dietílico                                                                  etoxi-propano ou éter metil-etílico









Reações  Com os Éteres
Reação de Combustão de um Éter

Os éteres são muito inflamáveis e explosivos. Vejamos a reação de combustão completa de um éter.


1 mol de éter dietílico reage em combustão com 6 mols de gás oxigênio e produz quatro mols de gás carbônico e cinco mols de água.



                                  Bibliografia

Martha Reis M.  da Fonseca. Coleção Química Meio Ambiente - Cidadania - Tecnologia, vol. 3. Ed. FTD, 1º edição, São Paulo - 2010.

Ricardo Feltre. Química, Química Orgânica. Vo.l 3, Editora Moderna, 6º edição, São Paulo, 2004.

Eter dimetílico - Museu da eletricidade - WiKienergia
wikienergia.com/~edp/index.php?title=Éter dimetílico

documento - CCEAD PUC RIO
web.ccead.pucrio.br/condigital/mvsl.../SL_fucoes_organicas.pdf 

Methyl tert-butyl ether - wikipedia, the free encyclopedia
en.wikipedia.org/wiki/methyl_tert-buthyl_etherethyl